quinta-feira, abril 26, 2007

Assim foi o 25 de Abril no Chiado




(segundo me faz saber o Jorge Soares da Associação República e Laicidade)

33 anos depois assim vai a Liberdade. Com os jornais e as gentes bem-pensantes a falar de manifestações não autorizadas. A polícia fala de extremistas de esquerda com uma precisão classificativa notável ("extremistas com simbologia anarcolibertária"). Liberdade e diálogo é para alguns. Os cartazes racistas, por exemplo, são protegidos em nome da liberdade de expressão, da lei e da ordem. Para os outros temos pauzinhos de amolgar ideologias. Ou seja, assim se vê uma vez mais para que serve a polícia. E já agora, quando é que foi a última vez que ouviram falar de uma carga policial durante uma manifestação de extrema direita?

É triste. E mais triste ainda é (quase) ninguém se indignar. Eu, por mim, só lamento não ter estado ontem no Chiado. Embora não tenha tido nada a ver com aquela manifestação e nem saiba se me revejo ou não naquela luta (em rigor não sei lá muito bem de que se tratava), sei - isso sim - que também fui agredido pelas bastonadas que os polícias por lá espalharam.

2 comentários:

mariana disse...

É, realmente, uma vergonha!

Agredidos por aquelas bastonadas fomos todos, enquanto povo. Só que à maioria parece não ter doído o suficiente para os fazer acordar do torpor em que se encontram.

Rita disse...

A maior vergonha deste abril...
Não consigo perceber este tipo de atitudes da parte das "autoridades", e muito menos entendo o silêncio em geral que se assiste em relação a este episódio humilhante para a nossa democarcia e liberdade de expressão.