segunda-feira, novembro 07, 2005

Paris a ferro e fogo

Não compreendo o que se passa em França. Não compreendo porque não vivo nos subúrbios degradados de uma grande cidade como Paris. Não compreendo porque, apesar de tudo, não sou tratado nas ruas e no parlamento como escumalha. Não compreendo porque, acima de tudo, tenho a esperança (talvez ingénua) de um futuro melhor. Mas apesar de não compreender, tento entender. E talvez fosse bom que não nos esquecessemos que, como disse Vital Moreira, quando Paris está a arder, convém lembrar que nem só ela é combustível. E que não são os habitantes dos subúrbios de Paris que mais têm a perder...

1 comentário:

Mariana disse...

Pois é. O Saramago é que tem razão. Mas quando nos julgarem bem seguros,/ cercados de bastões e fortalezas,/ hão-de ruir em estrondo os altos muros/ e chegará o dia das surpresas.